segunda-feira, 16 de abril de 2012

Pina



assisti a Pina, de Wim Wenders, e morri um pouco. pequena morte. ali, tão cercada de amor, morri um pouco. como já havia morrido ao ver Bandoneon em Paris, na última noite em que estava por lá há mais de um ano.  as cenas de Pina são como um soco no estômago que nos atravessa - o corpo todo, para dali saírem pétalas de flor, ou o jorrar da água ou o enigma dos gestos. ao vê-las, esquecemos um pouco de nós e nos deixamos penetrar pela beleza. a beleza do enigma. por que sentimos assim? porque nenhuma cena tem uma chave. uma resposta. ou um fluxo narrativo que não seja interrupção. ou um passo de dança que não seja já surpresa e reelaboração. jesuscristinho, é tão bonito!obrigada por me permitir ver tanta lindeza.

* Imagens da net

3 Palavrinhas:

Marcos do Espirito Santo disse...

Wim Wenders é fodabagarai.
Há tempos não vinha aqui.
Você já foi lá no meu blog novo?
Beijo.

Sérgio Rivero disse...

Milena...

Mande noticias da sua vinda aqui.

Sergio

O Profeta disse...

Convido-te a conhecer um Homem de papel
Convido-te a olhá-lo num espelho de água

Bom fim de semana

Mágico beijo