quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

coleções


O colecionador é um escravo. É como alguém num deserto: sempre sedento. Nunca se satisfaz com o que tem; o olhar está sempre no que, aparentemente ao seu alcance, ainda não lhe pertence. O "ainda não" é o copo de água do colecionador. É o que lhe impulsiona.


Sempre me espantam os números dos colecionadores. Ed Motta disse numa entrevista que tem mil garrafas de vinho. Um amigo meu tem uns três mil vinis. Outro, uns cinco mil livros. Eu tenho mais de mil cds. Quantos livros, não sei. Não conto. Só sei dos cds por causa da estante. Tenho vários amigos que ultrapassam a casa do milésimo em relação aos seus gostos musicais e livrescos. O número mil parece ser um número fetiche. É excessivamente tentador para um colecionador.

Quanto a mim, considero que só tenho uma coleção: a de corujas, que anda meio combalida e está muito longe de alcançar este número. Falta muita água para matar minha sede. E acho que sempre faltará.
.
.
Categories:

2 Palavrinhas:

Tata disse...

me conta onde é que vc consegue esses cartazes de filmes e peças, pelamor!!! amei o esperando godot, quero um pra mim... :-)

Neuza disse...

Sempre quis ter disciplina pra cultivar uma coleção. A sua, de corujas, está um primor. Minha ambição são sapos. Quem sabe...