sexta-feira, 12 de junho de 2009

para ele

como se não fosse um dia qualquer. tudo a primeira vez. primeira vez de tudo. mesmo que não seja. quando a alma invade assim o tempo o desejo o querer tudo é como se nunca fosse acabar. e assim me encho de ternuras. fico avara para o mundo e quero depositar tudo aqui nesta casa que agora amo com esta pessoa que agora amo. dia e noite espero seus passos no corredor e a chave que gira. um tatu chama outro tatu. não me importo se o futuro me levar esse presente. não me importo se tudo outra vez ficar seco. agora tudo é úmido. misturo meus parcos cabelos com a sua farta cabeleira. um urso bagunçando todas as ordens do dia. minha risada bem mais risada. bem mais constante. de vez em quando algo me assalta. para o amor, nenhuma defesa. só a do tempo talvez. daí esta urgência. este querer bem demasiado. afoito, trêmulo e quase humilde. como naquela música que agora não para de tocar. ser roubada do meu corpo - vem e fica e me faz um filho um bem um poema. sou tatuada para todo o sempre mesmo que o tempo. e lhe digo para ficar. oceano bravio na noite de lua cheia. coração arrancado e entregue.
*
*
*
Categories:

3 Palavrinhas:

QuincasB disse...

tudo é urgência enquanto não vem

nilza disse...

e a beleza inunda seu semblante,quem te vê que o diga.lábios mais cheios,de beijos?olhos repletos ,de ternura?a gestação plena de amor.fico tão feliz de te ver feliz!e de ler suas palvras envoltas nessa aura de ventura,bjs

Elaine disse...

Olá!
Bom dia!
Estou passando para conhecer seu blog um pouco melhor.
Também para desejar um semana linda, com muitas coisas boas.
Vendo seu Gosto de encontrei uma semelhança que nunca havia encontrado em ninguém antes: ler vários livros ao mesmo tempo.
Beijos e fique com Deus.