sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

para o filho



Poeminha, amar é tão fácil. educar é que são elas. filho, eu  temo não ser uma mãe perfeita. tenho lido alguns sites de mães na ânsia de entender o que significa este troço danado de fácil e danado de difícil. na maioria das vezes, acho-as bem melhor do que eu. embora, na sã consciência, eu saiba que  pensar assim é bobagem. é porque eu sinto que serei uma mãe exigente e às vezes ausente. amorosa, sim. muito amorosa. eu não poderia contar quantos beijos e abraços lhe dou por dia, nem quantas vezes digo que lhe amo. e cuido de você sozinha. não temos babá. e não sei quando teremos. muitas mamadas. e colos. e banhos. e arrumo você todo. você ja é estiloso desde agora (gostará de sê-lo quando crescer?). e faço massagens em você todos os dias. e me chicoteio porque não consigo acordar cedo para lhe dar banho de sol. você é cheiroso, muito cheiroso. gosto de homens cheirosos, filho. sempre gostei. e  agora você é meu homenzinho.

eu recolho cada sorriso seu. que são muitos. você é muito, muito sorridente. já leio histórias para você. e lhe mostro o mundo colorido. hoje ficamos à beira do rio. e eu sacudi meus pés na água como você faz na banheira para que você sentisse que o rio não é mais do que a sua banheira em tamanho maior. assim não é preciso ter medo. falo isso tudo para você. falo como adulto, sem colocar os "l" no lugar dos "r". mas minha voz às vezes sai meio infantilizada. e automaticamente faço o barulho de "carrinho" que você aprendeu com seu pai e não para de repetir. enfim, nada lhe falta. meio criança meio adulta, é assim que sou com você.

mas sou exigente, filho. não acho que deva sempre lhe dizer sim. você tem apenas três meses e eu já acho isto. é por isso que agora você chora no berço. eu e seu pai estamos tentando lhe ensinar a dormir mais cedo. é muito cedo para dormir tão tarde, filho. preparamos seu cantinho - e seguimos o mesmo ritual todas  as noites. e mesmo assim você chora. não lhe abandonamos. vamos lá de cinco em cinco minutos dizer-lhe que está tudo bem, que é apenas hora de dormir. mas ainda assim você chora. até quando? não sei, filho. mas sei que como estava, era muito difícil para mim e seu pai. horas e horas lhe ninando, balançando na rede, e você nem dormia nem ficava em paz acordado. aí resolvemos seguir o conselho do médico: "ensine seu filho a dormir sozinho". e assim tem sido. quando você finalmente resolve, crava os olhos no seu coelho e dorme gostoso. só acorda manhã alta. foi sempre assim. se alguma vez me ouvir dizer que, quando você nasceu, perdi noites de sono, pode me desmentir (logo você vai perceber que as mães adoram exagerar seus feitos!). você apenas não quer dormir cedo, embora a irritação, o choro, as mãozinhas esfregando os olhos deixem claro que você tem sono. mas não quer dormir e, por isso, chora. e chora como quem pede colo.

poderei evitar todos os seus choros, filho? acho que não. aprender doi. existe o sim e o não neste mundo. muitos sins e muitos nãos. e eu posso estar enganada, mas tenho cá em mim que se eu lhe disser apenas sim talvez contribua para que você seja como estes seres sem vontade que eu vejo a cada dia. seres sem força, sem ação, sem paixão - engolidos pela vida de todos os dias. entediados pela quantidade de facilidades que a vida lhes ofereceu. todos os sins do mundo. nenhum não.

nestas noites, você tem ouvido seus primeiros "nãos". é a primeira bola que lhe jogo. agora, você vai ter que aprender a dormir sozinho, no seu berço. e descobrir que mesmo assim está protegido.

dói, filho. mas eu sou durona. e você vai ter que aprender a lidar com isso.


Categories:

3 Palavrinhas:

Tata disse...

milena, querida,
sem dúvida, teu poeminha ainda ouvirá muitos nãos da tua boca. muitos choros virão, é inevitável. mas há tempo para tudo. teu menino é ainda um bebê, e bebês choram para comunicar-se. dizer que um bebê chora por manha, por malandragem ou qualquer coisa do tipo é desconhecer que o choro é a única ferramenta que o bebê tem para se comunicar. bebês dormem sozinhos quando chega a hora. quando eles são ainda tão pacotinhos, pequeninos e entregues, é a hora da gente manter ele muito juntinho, tanto quanto o corpo dele pede. isso não dura, te digo como mãe de duas menininhas serelepes de 5 anos, que dormiram muito no colo, ninando, mamando quando bebês, e hoje já há tempos vão para o quarto, dão boa-noite, beijinho, e ficam lá, dormem tranquilas, sem choros e sem sobressaltos. isso tudo aconteceu sem sofrimento, sem que eu tivesse que deixá-las chorando um minutinho sequer. até porque eu não conseguiria. não que eu tenha essa ilusão de que vou poder evitar todas as dores delas. sei que não vou. mas é justamente porque a vida já é muito cheia de pedras e choros e dores inevitáveis que eu tomo pra mim a tarefa de evitar as que posso. enquanto é tempo de colo, que seja colo. colo não estraga. carinho não estraga. presença não estraga.
esse tempo passa tão rápido... quando penso em como minhas mais velhas cresceram num piscar de olhos, tenho ânsias de agarrar o tempo para que a caçula seja sempre assim, bebezinha, dependente e precisada de mim. mas é também verdade que a cada nova fase, vem uma nova maravilha. é por isso que a gente não tem que antecipar nada, querer que eles sejam independentes antes da hora. a hora chega, minha flor. chega.
deixe que ela chegue, na hora que for de chegar...
bjos mamíferos

Tata disse...

oi milena!
não foi minha intenção julgar as escolhas de vcs. acho que cada um sabe quais são seus limites e por q caminhos deve seguir. o q eu quis dizer foi que existem opções, entende? passar 5 horas com o bb no colo e deixá-lo dormir a hora q quiser, ou deixar chorar até q aprenda a dormir sozinho, não são as únicas opções possíveis, há muita coisa entre um extremo e outro. criar uma rotina de sono é importantíssimo e super benéfico, mas há como fazer isso de maneira suave, sem choro. reconheço q é bem difícil encontrar o caminho, até porque a maioria dos pediatras são muito desinformados a esse respeito, não ajudam, não apresentam opções. mas elas existem. vou ver se escrevo no mamíferas sobre isso dia desses, aí ponho o link aqui, talvez te interesse.
bjo!

Tata disse...

flor, escrevi no mamíferas sobre as questões q conversamos, como te disse q ia fazer. se quiser dar uma olhada, tá aqui: http://mamiferas.blogspot.com/2010/01/sobre-os-metodos-do-choro.html
bjo!