sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Em frente à casa da infância

Foi assim.
Como os homens que amam as aves põem armadilhas para tê-las junto a si.
Para tirá-las do ar e tê-las, cantando, junto a si

Foi assim

E depois, guardassem aquilo em gaiolas, feitas
com a madeira da violência,
com a madeira da ternura, entrelaçadas
Diz-se disso: O homem é o mal, o amor é o mal

(Óserdespanto, de Vicente Franz Cecim)

Sim. Sempre achei mais triste do que alegre. Mas não nego::: era bonito. Um acordar dos dias com todos aqueles cantos. E quando fui em julho, ouvi de novo, senti de novo, aquela beleza triste dos dias. 









Categories:

2 Palavrinhas:

Tata disse...

beleza triste é coisa que dói. e mais triste é saber que às vezes é tudo que se tem. dói mais ainda.

Milena Magalhães disse...

Rê, muitas memórias vêm assim: com uma dor difusa... Mas ainda bem que elas existem! E existam também diversos modos de registros desta memória.

Beijogrande.