quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O Hamlet de Aderbal e Vagner Moura

O cenário é horrível. Os tênis incomodam. A Ofélia é bobinha e recita vez ou outra. Vagner Moura cospe demais. Alguns pulos são sublimes; outros bastante idiotas. E o “mamãe” com voz de falsete é de embrulhar o estômago. Mas como o que importa, já diz o Vanguart, é o que faz rachar as velas, nunca tinha visto um Hamlet tão visceral, tão louco, tão astucioso, tão irado, tão cínico, tão teatral, tão apegado aos detalhes, tão lindo. Quando vem “o resto é sillêncio”, o corpo todo pede tudo de novo. E me vem a tarde em que vi uma entrevista de Vagner Moura. E tenho certeza de que o que há de erro e de acerto na montagem vem do horror que o texto lhe causa [a entrega ao horror é o oficio de qualquer grande ator, não?]. E também deve tomar conta de Aderbal Freire-Filho.

Eu diria que é um clip do Radioread, mas quanto mais penso, mais quero resumir tudo assim: Hamlet é Dom Quixote. Hamlet é o príncipe Michkin. Hamlet são todas as personagens antes e depois dele. Hamlet é o próprio teatro. E esta encenação nos diz exatamente isto.
Categories:

3 Palavrinhas:

Cris Madame disse...

Mas o Vagner Moura é tudibom, né ??? Ai, que comentário mais burrinho frente a este texto todo inteligente seu, Milena !! Desculpa, Madame, hoje. Ela está pra lá de loura !!!!!!

adelaide amorim disse...

Ainda não vi, Milena, mas estou louquinha pra ver. Agora mais ainda.
Nossa fiquei tão contente com teu comentário lá no blog! Essas respostas são um incentivo e tanto. E fico feliz de ver que há vários blogueiros dedicados a essa tarefa árdua e maravilhosa de educar, num país como o Brasil, onde os governantes costumam ser frutos de uma péssima educação, e pouco estão ligando pro assunto, a não ser nos discursos em época de eleição.
Sabe que meu marido trabalha "logo ali", em Macapá?
Beijos e muito sucesso no seu trabalho.

loba disse...

Milena, querida! Sabe o que acabou de fazer comigo? me deixou com uma vontade imensa de não ser uma interiorana! rs...
Morar em cidade pequena me dá uma qualidade de vida muito superior à que tinha em Beagá. Mas como sinto falta de teatro, especialmente!!! Mesmo sabendo que nem tudo se pode ter em BH.
De qq forma, seu texto abre todo os apetites. E a vontade é correr pra Hamlet - este que vc diz visceral! rs...
Beijocas